PSL, e sua mudança liberal que ainda não chegou à Região dos Cocais

Na manhã deste domingo (19/11), no auditório da Academia Caxiense de Letras, realizou-se o III Encontro Estadual da Região dos Cocais do PSL (Partido Social Liberal, 17), contou com lideranças e simpatizantes de várias cidades, como Caxias, Parnarama, Timon, Aldeias Altas, Coelho Neto, Codó, entre outras. Segundo consta no site do partido, apesar de trazer no nome, "Social", o mesmo não deve ser classificado nem confundido com "Socialista", e se apresenta como uma alternativa liberal (1) no cenário político partidário nacional, maciçamente dominado por partidos socialistas e progressistas. Há também uma forte articulação interna no partido, denominada Livres, que tem como objetivo firmar a sigla definitivamente sendo "liberal e libertária" (2), o que inclusive deve culminar na mudança do nome, de PSL17 para Livres17 (3). Desta forma, mesmo com a conhecida aversão à política, por parte dos liberais, não há como não despertam a curiosidade para tal evento.


Mesa oradora do III Encontro Estadual da Região dos Cocais (PSL)

Bem organizado e com um bom público, o evento prometia ser interessante, mas conforme os conferencistas se pronunciavam, para um liberal, a cada participação, a euforia inicial dava espaço a um sentimento de frustração. O que se viu foram nomes já conhecidos na política local e região com um discurso justo, mas, óbvio, sobre o combate às velhas práticas entranhadas na política, como compra de votos e as 'puxadas de tapete' dentro dos partidos políticos, além de fidelidade partidária.

A grande expectativa de qualquer liberal, para o evento, era ouvir sobre os novos pensamentos e planos futuros do partido, e sua proposição liberal na política. No entanto, não foram estas ideias que dominaram os discursos dos oradores. Destaque maior para as falas da ex-vereadora (Caxias) Tânia Cantalice, que para ela, o "S", é sim de "socialistas", e defendeu a luta de classes. E para a do presidente municipal da sigla, Luíz Carlos Moura, que fez uma interpretação particular sobre o "Liberal", no nome da sigla, que em suas palavras, é a liberdade de falar o que se pensa, o mesmo encerrou seu discurso com a clássica frase de Che Guevara, "Hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás" (Tens que endurecer-te, mas sem perder a ternura jamais).


O presidente estadual do partido, o vereador (São Luís) Francisco Carvalho, responsável por fazer as considerações finais, o único a mencionar o movimento Livres, mas que o classificou como apenas "uma ala jovem do partido", fez críticas ao pensamento libertário do grupo, em um ato semelhante ao do seu correligionário (4), o deputado federal (Paraná) Alfredo Kaefer.

É importante ressaltar que todo cidadão é livre para pensar e defender suas opiniões. Esta análise não é uma crítica ao pensamento nem a imagem dos organizadores do evento. No entanto, a qualquer participante do evento que esperava ver o início do desembarque liberal na política regional, através de um partido, não encontrou no evento representatividade alguma. A reformulação do PSL está fluindo de cima para baixo, federal, estadual, municipal, e do eixo sudeste Brasil adentro, inclusive, há um programa de desfiliação voluntária aos membros que não se adequarem ao perfil (5). Por fim, a impressão deixada, é que na região dos cocais esta mudança ainda não chegou.

Referências

1 - http://www.psl.org.br/
2 - http://livres.psl.org.br/
3 - http://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/psl-se-renova-e-foca-mais-no-liberal-da-sigla-ou-its-happening/
4 - http://www.ocongressista.com.br/2017/05/deputado-liberal-conservador-do-psl.html
5 - http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/partido-faz-programa-de-desfiliacao-voluntaria.html

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.